sábado, 21 de maio de 2011

quarta-feira, 18 de maio de 2011

PROJETO DIDÁTICO

TÍTULO
Doenças relacionadas à água

OBJETIVOS
  • Identificar e compreender as relações entre o consumo de água e qualidade de vida;
  • Organizar e registrar informações sobre doenças relacionadas à água por intermédio de pesquisa nas tecnologias da informação e comunicação, exemplo, sites: jornalísticos, universidades, centro de pesquisas, blogs de escolas, jornais e revistas impressos;
  • Caracterizar causa e consequências da poluição da água para vida das pessoas e para o meio ambiente;
  • Propor, criar e imaginar soluções para possíveis problemas sobre a questão do uso, desperdício e preservação da água;
  • Socializar os conhecimentos construídos.
CONTEÚDOS
  • A água no Planeta Terra;
  • A água e o seu consumo;
  • Doenças decorrentes do uso e consumo de água poluída;
  • Qualidade de vida e esgotamento sanitário.
ANOS
  • 6º ao 9º ano.
TEMPO ESTIMADO
  • Oito aulas.
MATERIAL NECESSÁRIO
  • Computador com acesso à internet, máquina fotográfica, projetor, material impresso: revistas, jornais, cartilhas educativas.
DESENVOLVIMENTO

1º ETAPA (duas aulas germinadas)
  • Converse com a turma sobre as condições de moradia e saneamento básico em suas comunidades. Passe trechos de reportagens jornalísticas que mostram as condições precárias que as periférias das grandes cidades, especialmente, em Salvador passam, exemplo, falta de saneamento básico.
  • Conte que eles vão pesquisar nos vários meios de comunicação e informação doenças relacionadas à água e deverão trazer para próxima aula reportagens sobre as condições de vida que a população mais pobre passa nas periférias das grandes cidades.
  • Forme uma lista de discussão para que os alunos troquem informações sobre suas descobertas nas pesquisas.
  • Convide cada equipe a produzir um blog sobre o tema água e saúde.
2º ETAPA (duas aulas germinadas)
  • Produção de painel com as reportagens trazidas pelos anulos e esposto na sala de aula.
  • Convidar um agente de saúde para particiapar do debate sobre as consequências do consumo e contato com a água poluída para saúde. Convidar três educandos para fazer o registro do debate: por foto; filmagem e registro escrito.
  • Poste no blog da escola os registros produzidos no debate. Convide os alunos a fazem comentários no blog da escola.
3ª ETAPA (duas aulas germinadas)
  • Cada grupo deverá apresentar uma doença relacionada à água: forma de contagio,evolução da doença, danos causados ao corpo e prevenção. As informações coletas deverão ser postadas no blog da turma, assim como, todo o processo de coleta de dados. 
4ª ETAPA (duas aulas germinadas)
  • As equipes deverão apresentar a todos os colegas suas produções.
AVALIAÇÃO
  • Avalie todos os materiais produzidos (textos, esboços, roteiros, debates e comentários), a organização e a desenvoltura de cada grupo ao longo das atividades, a produção do blog.

WEBQUEST


INTRODUÇÃO
Água, bem precioso
A falta de água potável e de esgoto tratado facilita a transmissão de doenças graves. A maioria delas acontece entre crianças, principalmente as das classes mais pobres, que morrem desidratadas, vítimas de diarreias causadas por microrganismo.



TAREFAS
Atividade: doenças relacionadasa à água
Turma: 6º de escolarização
Tempo de duração da aula: 4 horas aula (uma aula por semana).
• Pesquisem em sites as doenças relacionadas à água.
• Formem grupos e escolham uma das doenças pesquisadas.
• Elaborem uma campanha para esclarecer a população sobre a transmissão da doença e sua prevenção.
• Apresentação das campanhas, utilizando um dos recursos disponíveis na web: prezi; slide share; produção de vídeo; produção de animação; criação de quadrinhos.
• Publicação das campanhas nos blogs de cada componente e na web.
• Participação nas listas de discussão.


PROCESSO
• 1º momento: a turma deverá pesquisar na web as doenças causadas pela ingestão de água não potável e o contato direto com o esgoto.
• 2º momento: postar na lista de discussão da turma o que foi compreendido sobre as doenças: forma de contagio, prevenção e tratamento.
• 3º momento: formar equipes com 4 componentes;
• 4º momento: cada equipe deverá escolher uma doença causada relacionada à água para produzir uma campanha de conscientização sobre os cuidados que devemos ter com a água.
• Para produzir a campanha as equipes deverão escolher uma das produções abaixo:
• Slide Share;
• Prezi;
• Vídeo;
• Animação
• Construção de quadrinhos no hagáque
• 5º momento: publicar os trabalhos nos blogs de cada participante da equipe e no youtube.
• 6º momento: Todo o processo de produção das campanhas deverão ser socializadas e discutidas na lista da turma.


AVALIAÇÃO
A avaliação terá como critério a participação de cada educando, seu posicionamento crítico, responsável e construtivo nos diferentes momentos da atividade e a produção e publicação das campanhas de conscientização da população do uso adequado da água e prevenção de doenças.



CONCLUSÃO
Devemos envolver os jovens e adolescentes em situações de aprendizagem que proporcione a compreensão da cidadania como participação social e política, adotando atitudes de solidariedade e cooperação em sua comunidade e no mundo. clic link abaixo.
http://www.webquestbrasil.org/criador2/webquest/soporte_derecha_w.php?id_actividad=1164&id_pagina=1

sábado, 5 de março de 2011

Atividade Final do Módulo 1 - Ciclo IV

PRETTO, Nelson De Lucca. Escritos sobre educação, comunicação e cultura. São Paulo: Papirus, 2008. 240p.

A obra Escritos sobre educação, comunicação e cultura apresenta uma reunião de textos, em sua maioria, publicados em jornais e revistas do Brasil, revisados e atualizados para melhor compreensão dos jovens leitores. Outros textos, todavia, foram apresentados pela primeira vez, além de discursos e panfletos, publicações de circulação interna da Universidade Federal da Bahia escritas por professores e pesquisadores. Como o próprio autor esclarece, são suas reflexões ao longo de toda sua vida de estudo e trabalho nos campos da educação, da comunicação, da ciência, da cultura e das tecnologias da Informação e comunicação (TICs).

O autor descreve em 240 páginas suas vivências pessoais e profissionais em uma escrita leve, própria dos textos jornalísticos, contudo considerando o rigor acadêmico. Pretto nos leva a refletir o verdadeiro papel do ensino, a função do professor e os rumos da escola do futuro. Em sete capítulos de Escritos sobre educação, comunicação e cultura é desvelado o cidadão comprometido com a educação de qualidade e o homem que sabe acompanhar as transformações da sociedade.

O primeiro capítulo da obra, Entrevista e Discursos, o autor apresenta suas inquietações sobre o acelerado avanço das TICs e as possibilidades de integração das mesmas com a educação; relata como ocorreu a criação da Rede Bahia, uma “perna” dessa grande rede internacional de mais de 40 milhões de usuários chamada internet (p.21). Na entrevista Não existe livro Ideal, Pretto afirma que a melhoria do ensino também é responsabilidade dos professores, alunos e pais e que a qualificação docente passa pelo uso das tecnologias, pelo domínio de conteúdos e da atuação política do professor na sociedade. Os demais escritos do capítulo 1 reforçam a necessidade da escola de se abrir para meninada e aprender com os alunos a construir sua forma de aprender, o conhecimento deve ser experimentado, refeito, reconstruído, errando e acertando. É chegada à hora de dar futuro à escola, construir novas educações, tendo as TICs como força propulsora.
No capítulo 2 denominado Escritos: Educação foram organizados em ordem cronológica os textos mais direcionados para a educação, segundo o autor, são artigos de jornal, publicados ou não. Pretto demonstra neste capítulo sua preocupação com as políticas públicas de formação de professores e de livros didáticos no Brasil, além do papel dos meios de comunicação de massa na formação do povo brasileiro. O autor chama atenção para o desprestigio do professor na sociedade, afirmando: “a grande maioria dos professores de primeiro e segundo graus trabalha sem nenhuma autonomia, sem dignidade profissional, não decidindo o que, como e por que fazer dentro da escola”. (p. 78)

As reflexões sobre o livro didático são aprofundadas no capítulo 3, intitulado Educação: livros didáticos. Mais uma vez, Pretto alerta sobre a exclusão dos professores e entidades representativas das decisões que envolvem diretamente a escola. O autor denuncia às discriminações presentes nos livros didáticos e o incentivo a memorização presentes nesses recursos.

O capítulo 4, A Cultura: o cuidado com a cidade e as gentes apresenta a produção do autor no campo da cultura em articulação com a educação. Pretto faz uma viagem por lugares singulares do nosso estado, demonstrando todo o amor que tem por esta terra que o adotou como filho desde os 11 de idade. Na crônica Velhos tempos que não voltam mais o autor nos emociona ao falar da cidade onde viveu de 1960 a 1965, Joaçaba, em Santa Catarina.

Ciência e Tecnologia é o título do capítulo 5, a reflexão é sobre o papel da televisão na sociedade. A produção e exibição de programas educativos e a espetacularização da ciência, especialmente os exibidos pelo Programa Globo Ciência. Segundo o autor devemos precisamos estar de olhos abertos para o que lá fora é produzido para aprimorar e incentivar a nossa produção local. (p.168)

O capítulo 6, Tecnologia da informação: e chegaram os bytes em 22 artigos o autor traz a discussão sobre a presença das TICs e os desafios para educação e cultura na contemporaneidade: aprofunda a temática sobre criação e expansão da Rede Bahia e o papel da escola diante do futuro desenhado pelas tecnologias. Para Pretto não precisamos de internet nas escolas, mas sim de escolas na internet. (p.191)

A obra é um conjunto de reflexões e vivencias sobre o trabalho do autor no período de 1983 a 2007 na militância pela educação pública de qualidade. Sua ação diária na construção de uma prática que fortaleça o professor, transformando-o em um produtor de cultura. As ideias de Nelson Pretto nos convida a repensar o papel da escola frente às mudanças da sociedade e função das TICs na formação do povo. Discute profundamente a democratização da informação, as propriedades dos meios de comunicação, a ideologia veiculada, em especial quando se fala da mídia eletrônica.

A obra é indicada a estudantes e professores de todas as áreas do conhecimento e a todos que desejam compreender melhor como a educação, comunicação e cultura se entrelaçam na construção da sociedade. É certamente uma leitura clara e leve que nos faz a todo o momento repensarmos nosso papel de cidadão.

Escritos sobre educação, comunicação e cultura, de autoria do professor Nelson De Lucca Pretto, Formado em Física, mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia, doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado na University of London, Ingraterra.

Rosangela Costa Soares, pedagoga pela Universidade Estadual da Bahia, aluno do curso de Especialização em Tecnologia e Novas Educações pela Universidade Federal da Bahia.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A metáfora do relógio nos leva a pensar como surgiu a ciência da forma que conhecemos: uma ciência fundamentada na produção do conhecimento, tendo nas estruturas matemáticas sua base.

Segundo, Felipe Serpa, Galileu introduziu um novo caráter ao processo do conhecimento, a partir de novos critérios que eram a relação e a quantidade, em oposição, a essência e a qualidade da idade média, desde então, a razão passou a comandar o processo de produção do conhecimento. Descartes foi o responsável por concluir o pensamento sobre a visão relacional de Galileu, separando a emoção da razão.

Ainda de acordo com o autor, no medievo a percepção era centrada na essência e na qualidade e seu substrato era teológico. Na modernidade, a percepção é centrada na quantidade e na relação, e seu substrato é tecnológico. A base do novo pensamento cientifica é a historicidade e o fundamento da percepção seria a práxis, entendida como atividade humana.

A convivência entre os indivíduos, a troca de experiências e o construir juntos tornaria um homem naturalizado e a natureza humanizada em uma relação de interdependência com fluxos contínuos não lineares.

Pretto, Nelson de Lucca (organizador). Tecnologia e novas educações: crise contemporânea. ADUFBA. Salvador, 2005.

O PROFESSOR NA ERA DIGITAL

Reflexão da aula sobre o papel do professor frente as mudanças na sociedade.
Atividade baseada no texto de Celso Antunes.